Grupo SATA: PPM imputa culpas a Vasco Cordeiro

0 / 222

Paulo Estevão, da Representação Parlamentar do PPM, acusou diretamente Vasco Cordeiro, presidente do Governo Regional dos Açores, de ser o principal responsável pela situação caótica em que mergulhou o Grupo SATA.

Numa interpelação ao governo no parlamento açoriano, sobre a “Situação económica, financeira e logística do Grupo SATA”, Paulo Estevão disse falar em “nome da indignação de milhares e milhares de açorianos dos dois lados do Atlântico”, sempre com o dedo apontado ao PS e a Vasco Cordeiro, em particular, considerando que os problemas da SATA derivam da irresponsabilidade política do governo. “É preciso salvar a SATA e acabar com a impunidade da gestão” socialista na companhia aérea.

Vasco Cordeiro, de acordo com Paulo Estevão, iniciou o processo de destruição do Grupo SATA. “Deixou que as dívidas do Governo Regional ao Grupo SATA aumentassem continuamente, mandou realizar rotas para a Europa tremenda deficitárias, escolheu pessoalmente os sucessivos presidentes do concelho de administração da SATA ao longo dos últimos sete anos e a ele se deve o completo fracasso do processo de privatização parcial da SATA Internacional”, referiu.

O Grupo SATA acumulou, entre 2014 e o primeiro trimestre de 2019, mais de 200 milhões de euros de prejuízos, segundo o PPM.

Ainda não são conhecidos os números do segundo trimestre de 2019 mas, recorde-se, o presidente do Governo Regional comprometeu-se a reduzir os prejuízos em cerca de 50 por cento em 2019, tendo como referência os 53 milhões de euros de prejuízo registados em 2018, tendo Ana Cunha. Secretária regional dos Transportes, deixado a garantia em plenário que esses números (segundo trimestre) serão tornados públicos até ao fim do mês.

A operação da SATA no verão IATA de 2019, de acordo com o PPM, “revelou-se um autêntico desastre, com inúmeros cancelamentos, incumprimento reiterado de horários, aluguer de aviões, estrangulamento da mobilidade dos açorianos”.

10.09.2019


Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *