Aeroporto do Pico: BE diz que é preciso reparar erros do passado

0 / 1085

O Bloco de Esquerda (BE) considera que as alterações regulamentares realizadas pela Comissão Europeia aos apoios às infraestruturas aeroportuárias regionais, em particular das Regiões Ultraperiféricas, constitui uma janela de oportunidade para reparar erros do passado em relação ao Aeroporto do Pico.

Segundo o deputado António Lima, na abordagem à petição “Pelo aumento das condições de operacionalidade do aeroporto da ilha do Pico”, subscrita por 2 351 pessoas e que subiu ao parlamento açoriano, “não se entende que esta infraestrutura, tendo sido alvo de importantes obras de remodelação há apenas 14 anos, estas não tenham sido perspetivadas de médio e a longo prazo”, acrescentando que não é lógico sob o ponto de vista estratégico e muito menos sob o ponto de vista financeiro que, havendo uma intervenção de grande envergadura, esta não tenha acautelado o futuro e que, chegados aqui, se tenha de executar o que não foi feito no devido tempo”.

“Mais uma vez se demonstra a falta de estratégia de desenvolvimento dos Açores que é património dos sucessivos governos regionais”, sustentou o parlamentar do BE, para quem “estamos perante uma lógica de governação próxima do casuístico mas que, na maioria das vezes, segue a doutrina do desenrasca ou do nicho de votos que se pretende conquistar a cada momento”.

Sobre a petição, Paulo Estevão, do Partido Popular Monárquico, que o investimento realizado pelos sucessivos governos regionais não corresponde ao potencial da ilha. “Há um passado de abandono que não se apaga em 40 anos”, recordou, reforçando a justeza da petição, sobretudo no que se refere à ampliação da pista do Aeroporto do Pico.

CDS e PCP manifestaram-se a favor das pretensões dos peticionários, o mesmo acontecendo com o PSD e o PS, com os social-democratas a criticarem a postura de inatividade do governo e o atraso em relação ao ILS e o PS a deixar a garantia de que o executivo açoriano está atento ao crescimento da ilha, em termos económicos, e às dinâmicas surgidas na última década.

19.04.2018

 


Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *